Sessão Pop-Up: Alguns Resumos de Teses e Dissertações de Literatura: Três textos sobre  a poesia do período Neoclássico (Arcadismo). Estes textos encontram-se no banco de teses da FFLCH/USP

Serna, Jorge Antonio Ruedas de la. Arcadia na crise do sistema literario português.São Paulo, 1992.226p.Tese (Doutorado).
Objetiva estudar a crise do sistema literario portugues no periodo arcade. No primeiro capitulo, intitulado arcadia e iluminismo, os elementos desse sistema sao colocados e explorados como ideias e atitudes que se relacionam, complementam-se, tensionam-se. Primeiramente a partir da figura e da obra do poeta correia garcao, sao discutidos os seguintes topicos: o problema da restauracao; uso de procedimentos literarios tradicionais (e arcadicos) como a cifra e o panegirico; censura e autocritica; liberdade de criacao; liberdade como desapego das paixoes e criacao de uma identidade; e o sonho arcade como modelo para a restauracao do mundo. Nos dois capitulos seguintes (ii. A tradicao arcadica e iii. A arcadia em crise), faz-se a abordagem do tema arcadico, isto e, examina-se de maneira ensaistica aspectos ideologicos e literarios do sistema esbocado anteriormente, aprofundando sua analise. Sao discutidas questoes como o carater citadino da arcadia e sua ideologia de volta a vida campestre; a relacao entre a ideologia conservadora dos arcades, o movimento da restauracao portuguesa e o progressismo iluminista do sec. Xviii; a relacao entre o aulicismo arcade e a ideia de virtude patriotica; etc. Conclui com uma reflexao sobre a dissolucao do sistema arcade e a permanencia de elementos tipicamente seus na arte moderna
Cândido, Antônio, 1918-, orient;

Orellana Suárez, Leonides Del Carmen.La Araucana : Génesis de una identidad nacional.São Paulo, 2000102 p.Dissertação (Mestrado)
Esta dissertação de Mestrado, que tem como título "La Araucana: Génesis de una identidad nacional", constitui-se numa reflexão sobre um processo de formação de identidade gerado a partir do poema épico La Araucana, escrito por Don alonso de Ercilla Y Zuñiga (1533-1594) no auge do século XVI, o Século de Ouro da literatura espanhola. La Araucana é o primeiro poema épico histórico da literatura hispano-americana, a primeira obra espanhola que aborda o tema da conquista da América e apresenta o índio e o mundo americano como matéria literária. a obra se fundamenta na realidade histórica: alonso de Ercília, testemunha e participante, por quase dois anos, da guerra em Arauco (região sul do Chile), inspirou-se neste processo bélico para escrever sua obra. O heroísmo dos espanhóis e a resistência dos araucanos à conquista dão a dimensão épica ao poema. Ercílla, homem culto da corte, mantém em sua epopéia a estrutura retórica renascentista, mas apresenta também algumas inovações: relata fatos contemporâneos e apresenta um herói coletivo, ou heróis coletivos, dois povos que lutam tenazmente pela conquista, ou pela defesa, do mesmo território. Desde o início, o poema apresenta a profunda ambivalência em meio à qual se dabate o autor. Por um lado, o texto exalta as idéias expansionistas, católicas e absolutistas do reinado de Felipe II; por outro, exalta a valentia e os valores morais de um povo "bárbaro, primitivo e pagão", se gundo as concepções da cultura eurocêntrica dominante. Da admiração pelo povo araucano, expressada por intermédio de famosas e memoráveis passagens narrativas que mesclan ficção e realidade, surge o "mito araucanista", mito entendido como lendas sobre heróis dotados de elevadas qualidades físicas e morais que passam a ser parte da memória de um país e gênese de uma identidade nacional. Para explicar o processo de integração de La Araucana ao patrimônio cultural chileno e o processo identitário que esta integração gerou, estruturamos este trabalho da seguinte forma: Na Introdução, mostramos como a valorização do índio americano feita em La Araucana é a gênese de um processo de identidade nacional que ocorre desde a Independência do país até nossos dias. A Primeira Parte trata da Obra e a sua posição dentro da literatura colonial, a sua estrutura como gênero épico e a linha narrativa o temática, da qual destacamos o tema do Sebastianismo e a influência de La Araucana na tardia épica brasileira. A Segunda Parte está dedicada ao Autor, pois vida e obra estão estreitamente ligadas. O poeta escreveu aspectos autobiográficos, e passou parte da sua vida compondo a obra, que foi publicada em três partes em intervalos de dez anos: 1569 - 1578 - 1589. A Terceira Parte trata o tema da identidade, mostra uma atitude épica na poesia chilena contemporânea e apresenta algumas reflexões sobre o complexo tema da identidade nacional. Na Conclusão refletimos sobre a importância da obra literária colonial como germe das contradições que generam movimentos político-culturais opostos ao domínio dos países conquistadores e sua importância na formação das identidades nacionais e na identidade cultural latino-americana.
Schwartz, Jorge, orient;

Luna, Jairo Nogueira. Retórica da poesia épica : de Bento Teixeira a Sousândrade. São Paulo, 1997. 402 p.Dissertação (Mestrado).
Aqui estudamos e apresentamos as opiniões críticas sobre os principais poemas épicos brasileiros, do período que vai de Bento Teixeira (
Prosopopéia, 1601) até Olavo Bilac ("O Caçador de Esmeraldas" em Panóplias, 1888). Apresentamos também nossos apontamentos sobre esses poemas e comentamos trechos e versos, tentando assim compor um trabalho que demonstre o surgimento, o desenvolvimento e as adaptações que o gênero épico, notadamente a epopéia, teve na literatura brasileira em razão da natureza de nossa cultura e história.
Brandão, Roberto de Oliveira, orient;

Escreva para o Orfeu Spam! Poemas, Contos, Pequenos Ensaios sobre Arte e Cultura em Geral... Esse Jornaleco Eletrônico pretende ser uma página de divulgação da Literatura e das Artes Contemporâneas! E-mail: jayrus@uol.com.br

Voltar

Avançar

Home