Sessão Pop-Up: Douglas de Almeida fala sobre a poesia de Jayro Luna. E mais: resumos de algumas teses e dissertações na área de literatura

BAGG'AVE : SONETOS E ROCK'N'ROLL

Eis que me chega pelo correio mais um pequeno grande livro. Trata-se do '
Bagg'Ave', publicação do poeta paulista Jayro Luna, editado e prefaciado pelo autor, com 44 páginas contendo 33 poemas abordando o homem e suas relações com a sociedade, através da música. (...)
Não conheço o autor nem outras publicações do mesmo, sequer alguns dados biográficos, por isso restringirei-me a tecer comentários tão somente ao conteúdo bagg'aviano.
No
Bagg'Ave, o autor vai buscar sua temática na música, e nesse caso, a música é o Rock'N'Roll... E o rock (a música) é muito mais do que uma música (o rock), é toda uma relação socia/sensual, é toda uma filosofia, é todo um jeito de (vi)ver o Mundo, e Jayro vai fundo.
Jayro nos fala das gerações roqueiras e dos seus valores, desde o tênis e a calça lee aos discos dos grandes astros e seus conflitos existenciais. Pelos textos bagg'avianos, percebe-se que o autor percebeu que a sociedade capitalistacomputadorizada está aí, firme e forte, com suas redes/rédeas e infinitas relações, e sacou (como muitos) que o Rock como tudo, é transformado em consumo e as vitrines são milhões. Que o Rock é o marketing, é a batida, é a alienação. O Rock é bailes para garotas e garotos nos fins de semana. É o rebelde e revolucionário, é o alternativo/artesanal. (...)
Jairo brinca com as palavras e seus sons-significados-significantes, e seus poemas têm música como toda a poesia, e a esta música alia outra música, a música cantada/tocada vinda da relação homem-instrumento. Então as onomatopéias, melopéias, metonímias e aliterações dançam entre línguas claras e metáforas e os pensamentos são em versos, em prosa, imagens e muito mais, pois como o próprio autor declarou: "sobre a discussão se o soneto já morreu ou se o que vale são os versos livre ou a forma estudada do poema concreto, prefiro ficar com a posição do Chacrinha: - 'Vale Tudo'!"
Acontece que o 'vale tudo' de Jayro é pra valer mesmo, e as formas utilizadas por ele, (percebe-se) são fruto de pesquisas e trabalho. Há poemas figurativos, concretos, palavras cruzadas, sonetos e alguns que eu, nem ousaria tentar definir. A forma mais utilizada, porém, é a do soneto, e são sonetos na mais pura forma tradicional (catorze versos dispostos em dois quartetos e dois tercetos), sonetos que matariam Petrarca de inveja. Ainda tem o soneto inglês, formado de três quartetos independentes e um dístico, com rimas em abab/bcbc/cdcd/ee. (...)
Sonetos e rock'n'roll, quem imaginaria?
Ao meu ver, aí é que reside em Jayro, a originalidade, com conteúdo (tema) e forma nada originais, ele origina algo 'novo', interessante, como por exemplo no soneto "Flash Back", onde as rimas foram realizadas nas línguas inglesa e portuguesa: "músical" com "know-how"; "tacape" com "seven-up";  "moleque" e "flash back".
Os exemplos não ficam por aí, e estas linhas não pretendem fazer apologia  ao
Bagg'Ave, apenas externar uma das mais gratas surpresas que eu tive neste início de 1985, dentro da chamada produção alternativa/independente.

Douglas de Almeida, Revista Sem Perfil, Salvador, BA--set/out,1985, p. 22-24.
Na publicação original o texto vem acompanhado da transcrição de alguns poemas de
Bagg'Ave.

Sessão POP-UP: Alguns Resumos de Teses e Dissertações de Literatura.

LUNA, Jairo. Retórica da Poesia Épica Brasileira: De Bento Teixeira a Sousândrade. Dissertação de Mestrado, FFLCH/USP, 1997.

Nessa dissertação se estuda e se apresenta as opiniões críticas sobre os principais poemas épicos brasileiros, do período que vai de Bento Teixeira (
Prosopopéia, 1601) até Olavo Bilac ("O Caçador de Esmeraldas" em: Panóplias, 1888). Apresentamos também nossos apontamentos sobre esses poemas e comentamos trechos e versos, tentando compor um trabalho que demonstre o surgimento, o desenvolvimento e as adaptações que o gênero épico, notadamente a epopéia, teve na literatura brasileira em razão da natureza de nossa cultura e história.
Banca: Prof. Dr. Roberto de Oliveira Brandão (orientador); Prof. Dr. Valentim Facioli e Prof. Dr. Gilberto Pinheiro Passos. 

CONTINUA

Avançar

Home

Voltar