ORFEU SPAM 15/16

Jornal Eletrônico de Poesias e Artes

Editor: Jayro Luna

ISSN: 1807-8311

Orfeu Spam é uma publicação trimestral de poesia, música e artes em geral.

São Paulo, out.-dez. de 2006 / jan.-mar. de 2007

Orfeu Spam está no ar desde janeiro de 2003

 

Voltar  

   Home Page

  Capa Orfeu Spam 15/16  

   Home Page

  Avançar

Sessão Metamoderna: Poesias de Jayro Luna

Crime e Castigo

A Dostoievski, Machado de Assis e Joseph Sargent

“O pior crime para com os nossos semelhantes não é odiá-los, mas demonstrar-lhes indiferença: é a essência da desumanidade.” Bernard Shaw.

Toda vitória desnecessária é crime.” Baltasar Grácian.

 

Chove sobre as casas, chove nas ruas...

Sobre as árvores chove, como chove!

Chove agora em minha alma fria e nua!

Sou o próprio medo, sou Raskolnikov!

 

O Crime pode ser justificado?

Digo, justificado socialmente,

Ser moral, religioso, prezado?

A Justiça, por acaso não mente?

 

Uma velha agiota, tola, mofina...

Mas ao acaso, mata-se uma jovem...

Para minha dor, nem mesmo morfina!

 

Ao cetro de Jove, sob seus raios, chove!

Há uma Sibéria em mim! Minha sina!

Nem mesmo mais poemas me comovem...

 

 

Mercúrio

A Augusto de Campos, Hugo Pontes e Steven Spielberg

“que  o futuro é nosso permanente” E. M. de Melo e Castro, “Versão Livre de um Soneto de E.E. Cummings”

 

Estendo a vista pela Aldeia Global[1],

Vivo na era da comunicação,

Ou já será esta a da informação?

Chupo balas Toffler[2], leio o Capital[3]!

 

Abraham[4] as portas da percepção,

A vida é Dürer[5], a carne é Moles[6],

Tomo a estrela do Absinto[7] aos goles!

Vejo me, a cara na televisão!

 

Busco na internet novos algúrios,

Quem Michio em Kakus[8] do licor d’alquermes?


 


[1] Expressão cunhada por Marshall Macluhan, um dos principais teóricos da comunicação nos anos 60.

[2] Trocadilho com o nome de Alvin Toffler, autor de obras acerca da era da comunicação (O Choque do Futuro; Terceira Onda), da mídia e da informação com o nome das balas toffe, feitas de caramelo.

[3] Obra de Karl Marx.

[4] Abraham Moles, teórico da comunicação e da informação, com obras como A Sociodinâmica da Cultura, Teoria da Informação e Percepção Estética e O Kitsch.

[5] Trocadilho com o nome do pintor alemão barroco-renascentista Albrecht Dürer.

[6] Vide nota 4.

[7] Obra de Oswald de Andrade, 1927. E também a expressão se refere à uma estrela apocalíptica, para alguns místicos e esotéricos caracterizada como o planeta Vênus. Absinto: bebida que foi uma das marcas da Bélle Epoque parisiense.

[8] Trocadilho com o nome de Michio Kaku, autor de livros de divulgação científica como Hiperespaço, e que anuncia uma era dominada pela tecnologia e pelo conhecimento avançado da astrofísica. Seu discurso tem um forte apelo futurista.

 

 

Também Quero Ser John Malkovich!

A Craig Schwartz, Lotte Schwartz e Roberto Schwartz

“Não era só a emoção nova que me fazia assim, era o próprio texto, as memórias do amigo” Machado de Assis, Dom Casmurro.

“-Qual! Os versos? Pura tolice! Compreenda por si mesma: quem é que fala em rimas?” Dostoievski, Os Irmãos Karamazov.

“Viajar ! Perder Países!

Ser outro constantemente” Fernando Pessoa.

 

É preciso andar ao modo arquejado,

Assim como os velhos e os vis corcundas,

No andar 7 e ½  até o arquivo do lado,

Em que u’a portinhola torta, profunda,

Leva-nos até o submundo mofado

Duma consciência estéril e rotunda

De um homem qualquer civilizado!...

Um burguês-níquel! Um tal lava-bunda!...

Quero meus quinze minutos contados

De sucesso, de glória em fama imunda!

Entrar na mente de um outro ser e ver

Quão mesquinha é a alma antes de morrer...

 

 

Voltar  

   Home Page

  Capa Orfeu Spam 15/16  

   Home Page

  Avançar