ORFEU SPAM 15 / 16

Jornal Eletrônico de Poesias e Artes

Editor: Jayro Luna

ISSN: 1807-8311

Orfeu Spam é uma publicação trimestral de poesia, música e artes em geral.

São Paulo, out.-dez. de 2006 / jan.-mar. de 2007

Orfeu Spam está no ar desde janeiro de 2003

Voltar  

   Home Page

  Capa Orfeu Spam 15 / 16  

   Home Page

  Avançar

Sessão Marginália: Rubervan du Nascimento

NASCIMENTO, Rubervan du (Rubervan Maciel do Nascimento) - n. 31-07-1954 - São Luís (MA). Filho de Valdo Isidoro do Nascimento e Leny Ratez Perez. Poeta, ator e violonista. Formado em Direito. Fiscal do Ministério do Trabalho, em Teresina. Pertenceu ao Conselho Editorial do Projeto Petrônio Portela. Presidiu o Centro Colegial dos Estudantes Piauienses - CCEP e a UBE/PI. Pertence ao Conselho Editorial da Fundação Cultural Mons. Chaves. Bibliografia: "A Profissão dos Peixes" e “Marco Lusbel Desce ao Inferno” (premiado em 1º lugar num concurso nacional de poesia promovido em 1997, pela Editora Blocos, do Rio de Janeiro. Participou dos livros "Postais da Cidade Verde" (1988); "Poesia Teresinense Hoje" (1988); "Andarilhos da Palavra" (1990); "Aviso Prévio" (1977); "Coração em Dois Tempos" "Ô de Casa" (1977); "Piauí: Terra, História e Literatura" (1980), organizado por Francisco Miguel de Moura e “Baião de Todos” (1996), organizado por Cineas Santos. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), de Assis Brasil. (Fonte: DICIONÁRIO BIOG. VIRTUAL DE ESCRITORES PIAUIENSES - Adrião Neto - em:

 http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.phtml?cod=4630&cat=Ensaios)

Dois poemas visuais de Rubervan du Nascimento: "Túnel do Tempo" (acima) e "Soneto do Coração Dilacerado" (ao lado)

 

                                      (lá longe,
Em clima menos áspero; entre o
Occazo,
E Polo Austral), sobr’ os umbrozos
Serros.

alguém se preocupa
com o sumiço da âncora

                               (aqui mais perto
sob o sol ardendo; de costas para um
mar
de inacabado porto) entre floresta de
pedras

alguém encontrou a esperança
roendo seu próprio osso

 

TRATADOS

1.

falar
        pela boca do peixe
comer
        as sujeiras como bem entender
viver
        na palavra dele
feliz  feliz  pelas ruáguas daqui
 

 

 

BRANCO E BRANCO URUBU CRIANÇA

assim começa o meu tino
        nas bastas
        de teus vestidos
        anjo nu

        me descobrindo

        assim começa o meu tino
na cabeça
do menino
        porta se abrindo

        pra dentro

       assim começa o meu tino
indo pro corpo
       porto
       mais branco

      do sol

22
 

banco cria a bolsa

e o valor
 

juro alto

cartão de crédito
 

vende sorte

pela internet
 

surge o fundo

do poço

 

(Capa do livro premiado no 1.° Concurso Blocos de Poesia/97 - Marco Lusbel Desce ao Inferno).

 

Voltar  

   Home Page

  Capa Orfeu Spam 15 / 16  

   Home Page

  Avançar