ORFEU SPAM APOSTILAS

[Volta à Página Principal]

Clarissa - Érico Veríssimo - resumo

PERSONAGENS:

Clarissa: adolescente que morava numa fazenda e foi estudar na cidade grande;

Ondina; a infiel, casada com Barata;

Amaro; um musico que cortejava Clarissa;

Tonico: garoto que perdera as duas pernas num acidente, era muito frágil e acaba morrendo;

Vasco: primo de Clarissa que vive em Jacarecanga;                

 

“Érico Veríssimo principia com uma novela adocicada - Clarissa - da linhagem da Moreninha, Inocência e outras do gênero. Escrita em 1932, numa altura em que a ficção nordestina dava mostras de se engajar na luta social pela emancipação dos humilhados e ofendidos, é uma história suave, de uma adolescente sonhadora. Imprevista nos quadros da ficção moderna, onde predominava a prosa de 22 ou o regionalismo de Raquel de Queirós, José Américo de Almeida e outros, é quase uma narrativa para jovens. Expressão típica do Rio Grande do Sul, antípoda do Nordeste, de forma que Clarissa seria a contraface da protagonista dO Quinze? O certo é que a heroína de Érico Veríssimo é uma menina-moça romântica, que facilmente converte em lágrimas suas reações e pessoas e acontecimentos. Encarna o cotidiano simples duma cidade tranqüila e provinciana, a ponto de a narrativa se pretender sinônimo de vida.” (Massaud Moisés, História da Literatura Brasileira, O Modernismo, p. 224)

 

Clarissa é uma jovem de 13 anos que mora na pensão da tia enquanto estuda  em  Porto Alegre.  Ela  é  uma  jovem curiosa, descobrindo o mundo, a adolescência e a vida. Não gosta   muito de  escola, sente  saudades  da  fazenda  em  sua cidade natal, Jacarecanga e observa as pessoas que moram na pensão da   tia  e  na  vizinhança: Ondina, a  infiel  esposa  de Barata; Amaro, o músico triste e contemplativo; o distraído major; a conservadora tia e seu desempregado marido;  a família rica que mora ao lado e a viúva com o filho mutilado. Este último, Tonico, perdeu as duas pernas num  acidente  de  bonde e sonha em marchar com exércitos. Frágil, acaba morrendo.

Quanto a Amaro, este sempre contempla Clarissa, sua juventude, sua inocência, sua beleza aflorando da menina que vai se tornando moça. Clarissa faz 14 anos (e ganha permissão para usar salto alto) e passa de ano  na  escola. O livro  acaba  com Clarissa voltando para Jacarecanga (e encontrar o primo Vasco) enquanto Amaro fica triste na pensão a pensar nela.

O primeiro romance de Érico Veríssimo, Clarissa apresenta um panorama da vida de uma jovem na Porto Alegre de 1932 e começa a história que se estenderá por seus romances da primeira fase.